Empreendedorismo

Os erros mais comuns na gestão financeira de um SaaS

Publicado: Visto por: 20 pessoas

“O SaaS (Software as a Service) é um conjunto de softwares e soluções tecnológicas que podem ser acessados em qualquer lugar, apenas com o uso da internet. Assim, não há a necessidade de download, comprar licenças ou montar servidor, pois todas as soluções são armazenadas em nuvem.”

O SaaS (Software as a Service) é um conjunto de softwares e soluções tecnológicas que podem ser acessados em qualquer lugar, apenas com o uso da internet. Assim, não há a necessidade de download, comprar licenças ou montar servidor, pois todas as soluções são armazenadas em nuvem. Você já conhece como funciona e quais os principais erros da gestão financeira de um Saas? Nós te explicamos neste post.

Vamos começar com um paralelo temporal. O uso de planilhas para controle de gestão, apuração de resultados, organização de tarefas e demonstrativos financeiros sempre existiu. O problema é que esse tipo de solução se torna obsoleta, à medida que a tecnologia avança e surgem maneiras mais precisas para a administração de um negócio.

Porém, é preciso saber utilizá-la ao seu favor. Conheça aqui a importância do SaaS, e veja alguns dos erros mais comuns para começar a evitar agora.

O que é SaaS e qual a importância do SaaS?

Primeiramente, vamos entender que o SaaS é um sistema que disponibiliza softwares e soluções tecnológicas através da internet. Assim, não é preciso ter o trabalho de instalar e manter softwares diferentes para cada problema dentro da sua empresa, seja o controle da gestão ou de estoque.

Com o SaaS, a empresa deixa de ser refém de soluções manuais e que exigem tempo excessivo por parte da sua equipe. Além disso, com esse sistema, o provedor é responsável pela segurança dos dados, garantindo a proteção das informações do seu negócio.

Outro benefício de se tornar uma empresa SaaS é que isso torna todos os processos mais simples e práticos, o que contribui para um dia a dia mais tranquilo em relação ao montante de demandas. Com as soluções hospedadas em nuvem, não há a necessidade de ter vários profissionais trabalhando na mesma tarefa, o que corta custos, sendo possível também organizar melhor o seu planejamento diário.

Mas, você sabia que mesmo com todas essas vantagens é possível prejudicar a sua estratégia com alguns erros clássicos? É o que vamos te ensinar a não fazer agora! Continue conosco.

 6 erros no SaaS para não cometer nunca mais

1) Insistir em soluções manuais

Continuar a insistir em soluções obsoletas é um dos erros mais comuns na gestão financeira de um SaaS. Isso porque, embora já implementado, muitos gestores continuam a contar com o controle manual, que pode prejudicar a empresa pela falta de precisão.

É inegável que o homem tem muitas habilidades que não podem ser reproduzidas por uma máquina. Mas também é perceptível que, hoje, soluções automatizadas abrem bem menos espaço para possíveis erros, que podem resultar em uma cadeia de resultados negativos.

Além disso, funcionários podem falhar se forem encarregados de uma quantidade excessiva de demandas, o que é outro ponto a se considerar. Implementando o SaaS, você não precisa se preocupar com isso, pois não é necessário designar diversas tarefas a uma única pessoa, sobrecarregando-a. Ou, mesmo, designá-las a várias pessoas diferentes, o que também é negativo, pois direciona muito esforço a algo que seria feito rápido com a ajuda de um software.

2) Não projetar o faturamento de forma adequada

Quando se trabalha com receita recorrente, é preciso levar em conta as variações sofridas ao longo do tempo. Muita gente pensa que, por conta do conhecimento prévio da data de pagamento, as situações são mais simples de serem previstas.

Mas o que o acontece é que, ao longo do período de um semestre ou um ano (dependendo do plano do cliente), pode haver algumas mudanças a que você precisa estar atento; caso contrário, o seu planejamento pode fugir do controle.

Assim, não deixe de avaliar possíveis ajustes no contrato, upgrades e downgrades no valor cobrado em cada plano, além de promoções, entrada e saída de clientes. Avalie também a média anual de cancelamentos, pois essa é uma métrica importante aos próximos planos realizados pela sua empresa. Com isso, será possível personalizar melhor as soluções de cada cliente e evitar cometer erros no cálculo dos faturamentos.

3) Não ter padrões nas vendas

Não estabelecer padrões para o processo de vendas também é um erro muito cometido na gestão financeira de um SaaS. Fazer seu trabalho sem planejamento é como dar um tiro no escuro, então é essencial analisar alguns fatores antes de tomar quaisquer decisões.

Pergunte-se, antes de mais nada:

  • Quais são as metas do meu time?
  • Qual é o tipo de cliente que eu pretendo atrair com as minhas estratégias?

É importante ressaltar o seguinte: não adianta nada trazer diversas pessoas diferentes para compor o seu grupo de clientes se suas necessidades e características não estão alinhadas com a política da empresa. Todos procuramos por uma organização adequada aos nossos princípios e ideais. Por que não se posicionar dessa maneira com os clientes também?

Saiba desde já que algumas negociações nunca vão para frente, justamente por conta do perfil inadequado de alguns contatos. Algumas podem até avançar, mas trazer prejuízos ainda maiores por conta de uma falta de sinergia em opiniões e objetivos.

Assim, crie o hábito de mapear muito bem o seu tipo ideal de cliente e procure estar sempre nas “redondezas” para conhecer bem com quem você está lidando. Construindo, assim, padrões para as vendas em torno desse conhecimento prévio.

4) Não definir e analisar métricas

Não definir métricas para o uso do SaaS é como desperdiçar todos os seus esforços. Isso porque, sem métricas, é impossível avaliar se as estratégias estão sendo positivas, quais precisam de melhorias e quais você deve simplesmente substituir.

O gestor tem como responsabilidade saber a margem do negócio, o CAC (Custo de Aquisição de Cliente), custo de manutenção do cliente, além dos prejuízos causados por cancelamentos no contrato, por exemplo.

Assim, para não perder insights importantes sobre a saúde do seu negócio, e para saber se você está dentro das expectativas do mercado, estabeleça critérios e métricas mensais para controlar o seu setor financeiro com mais precisão.

5) Não ser flexível com o cliente

Como muitas empresas hoje, você precisa adicionar a palavra flexibilidade ao vocabulário da sua gestão. Há algumas ações que podem fazer o cliente confiar mais em você, evitando também o temido cancelamento de contrato.

Todos sabemos que manter clientes pode ser mais vantajoso do que adquirir contas novas, uma vez que toda a burocracia do início de negócio pode ser desgastante. É o que você pode conferir no nosso post sobre como aumentar a retenção de clientes.

Assim, um diferencial pode ser oferecer planos personalizados e mais flexíveis, que contem com a participação do próprio cliente em decisões importantes. Isso inclui, por exemplo, desenvolver um contrato com datas de pagamento que se adequem ao cliente, negociar custos e conceder benefícios, dependendo do tempo de parceria.

Isso, com certeza, fará com que seu cliente fique por mais tempo, uma vez que seu trabalho será reconhecido e valorizado.

6)  Não reajustar preços a longo prazo

Você, com certeza, já hesitou em reajustar contratos, não é mesmo? Seja por medo de perder o cliente ou por outras situações, essa é uma preocupação constante no ramo, mas às vezes é preciso enxergar além.

De que adianta manter os preços por muito tempo apenas para provar algo aos seus clientes se a inflação te fizer refém? Esse é um dos questionamentos que precisam ser feitos com frequência, pois muitas vezes o negócio pode sair prejudicado financeiramente se alguns ajustes não forem postos em prática.

Para evitar possíveis desentendimentos ou cancelamentos reais, você deve deixar tudo bem transparente. Alinhe com cada cliente sobre as taxas em questão, possua sempre um termo de serviço que possibilite o conhecimento prévio deste tipo de ajuste e procure automatizar essa função por meio de ferramentas.

Para clientes mais antigos, procure flexibilizar essas mudanças, lembrando que um tratamento diferenciado pode ser fundamental para a sustentação do negócio.

Conclusão

A fim de evitar se afogar em demandas operacionais e perder pouco a pouco o controle da sua gestão, essas dicas são uma carta na manga. Não espere até que o seu negócio perca credibilidade; coloque-as em prática já para uma administração financeira bem mais eficaz!

Agora que você já conferiu os erros mais comuns na gestão financeira de um SaaS, confira também algumas dicas sobre a inteligência artificial no marketing e alcance cada vez mais sucesso na sua gestão, inovando e alcançando novos padrões. Até a próxima!

Publicado:
Materiais gratuitos

Baixe também nossos materiais gratuitos

Tudo o que você precisa saber sobre o mercado gratuitamente e em um só lugar.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você autoriza a Forpeople Softwares a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.